sábado, 19 de julho de 2008

Simpatia por el demonio

O relógio ja marcava tarde da noite. Milhares de seres hipnotizados movem-se seguindo gestos e uivos que ecoam de um altar dominado pelo uso e abuso de preto e vermelho.

Suava em bicas. Poros abertos, pupilas dilatadas, garganta seca. Não sentia mais seus pés. Sua alma já fora levada a tempos. Dentro de suas veias corria não mais sangue, mas um líquido latejante capaz de durar o pior dos venenos. O último acorde é tocado, a primeira lágrima escorre. Mãos no ar em reverência aos que rolarão feito pedras por toda a eternidade.

E foi assim que nosso anti-herói saiu, vivo (pero no mucho), do seu primeiro show dos Rolling Stones. (Bs As 21.02.06)

(por Rafa Farina)

Um comentário:

* disse...

Esse contículo é real???
Amei...
Bs.As. é tudooooo!!!
Parabéns Rafa!!!