terça-feira, 29 de julho de 2008

Blecaute

Em um piscar de olhos, havia escurecido. Chovia forte lá fora, e ela conseguia ouvir (e até sentir) os pingos caindo dramaticamente no chão.
Estava no computador, trabalhando no seu novo livro e batendo papo com seus amigos. Ficara por 5 minutos na frente do computador, esperando e desejando a volta da luz.
Pegou seu telefone celular, que apitara o último suspiro de bateria.
Sem rádio, sem TV, sem computador e telefone. Estava incomunicável e inconectável, perdida na silenciosa solidão da escuridão.

2 comentários:

Fernando disse...

Isso é o que dá não ter telefone fixo! ;)

Paulo disse...

ueba... mto bom
as coisas ficam suspensas
e agora?