segunda-feira, 23 de junho de 2008

Sem volta

A flecha lançada atinge o seu peito atravessando-lhe o coração. Adrenalina se espalha por todo seu corpo em milissegundos. Ele respira fundo, olha para cima, e contrariando o bom-senso, arranca o projétil com toda a sua força.

Mas ao invés de sangue é a paixão que escorre pelas suas mãos. A dor que sentia se tranforma em desejo, e o medo, em alegria. Ele se volta novamente para ela, cujas palavras proferidas agora lhe soavam como uma orquesta de cores e sentimentos.

O cupido, de longe, tocava a corda de seu arco tal qual uma harpa, e sorria orgulhoso por mais uma oportunidade que criara.

2 comentários:

Guga disse...

Demais.
Agraço
Guga

Carlinha Link disse...

ai que lindo! que intenso... amei.