segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Contagiante

Dona Ana saiu de casa feliz da vida: seu filho retornara depois de anos morando fora. Chegou no mercadinho da esquina, mas o balconista a atendeu super mal. Quando chegou na calçada, esbarrou em Julia, que estava distraidamente cantarolando. D. Ana xingou e ainda deu umas bolsadas em Julia, que tentou se desculpar, mas não conseguia. Assustada pegou o 1° ônibus. Um moleque sem querer puxou o seu cabelo, que havia se prendido na mochila nova dele. Julia teve um ataque histérico, e o moleque começou a chorar. Alguém lá do fundo, xingou Julia, afinal, porque fazer isso. Outro concordava com ela, e xingou ainda mais o moleque. O cobrador ficou assustado: era seu 1° dia de trabalho no Br, depois de ter ficado muitos anos fora. Não sabia o que dizer, nem como agir. Só sentia muita raiva de estar ali.

2 comentários:

rodrigolink disse...

uma pessoa foi influenciada pelo cinema... um texto meio primata...

Carlinha Link disse...

Você está meio certo, macaco. Vou te dar algumas dicas.
É uma mistura, um mashup.
vai saber, quem sabe tu dá sorte e descobre qual é o outro filme que me influenciu tb...